Home / CÃES / Cuidando do seu bichinho / Miosite dos Músculos Mastigatórios: Muita Dificuldade de Abrir a Boca e Mastigar

Miosite dos Músculos Mastigatórios: Muita Dificuldade de Abrir a Boca e Mastigar

10 / dez / 2012

Hoje atendemos a Pupê, uma Pug de 5 anos de idade que começou a apresentar dificuldade de mastigação. Na verdade ela não consegue abrir a boca e tem dificuldade de pegar comida e beber água e fica desesperada para isso.

Ela tem uma doença não muito comum chamada de Miosite dos Músculos Mastigatórios (MMM), ou Miosite Eosinofílica, que é uma doença inflamatória que atinge os músculos da mastigação (bochecha/face do cão).

Essa é mais uma doença IMUNOMEDIADA, que o cão desenvolve causando um processo inflamatório dessa musculatura e “trava a boca”, ou seja, o animal fica incapaz de abrir a boca para comer e até para respirar adequadamente.

Essa doença ocorre em todas as raças de cães, mas parece ser mais comum em Pastor Alemão, Doberman, Goldem e Labrador. Cães jovens e de meia-idade são mais comumente afetadas pela doença.

A doença pode ser aguda (de uma hora para outra e depois fica bom) ou crônica (piorando com o tempo). A forma crônica é mais comum.

SINTOMAS OBSERVADOS

– Inchaço da bochecha em um primeiro momento.

– Febre

– Dor ao abrir a boca

– Dificuldade de comer ou mastigar

– Salivação intensa

– Afundamento dos olhos

– Prolapso (protrusão) da terceira pálpebra

– Atrofia dos músculos da cabeça

– Incapacidade de abrir a boca normalmente

DIAGNÓSTICO:

O diagnóstico é feito pelo exame clínico, pela forma de apresentação e confirmado por exames de sangue, principalmente da dosagem da Creatina Quinase. Uma biópsia da musculatura pode também contribuir para o diagnóstico.

TRATAMENTO:

O tratamento é feito com medicação imunossupressora e dependendo da dificuldade de comer, pode ter indicação de colocar um tubo esofágico para facilitar a introdução de alimento e água.

CUIDADOS EM CASA:

Depois de iniciada a terapia, o animal deve ser reavaliado periodicamente para monitorar a resposta ao tratamento. Em muitos casos, o tratamento com esse medicamento é a longo prazo (meses). Alimentação pastosa e ajuda para colocar água e comida na boca do animal com uso de seringa pode ser necessário. Nesses casos os riscos de aspirar alimento e medicação pode acontecer, vindo a desenvolver pneumonias aspirativas.

Como os cães respiram e perdem calor pela boca e, nesse caso, isso fica dificultado, deve se evitar estresse, ambientes quentes e atividades físicas intensas.

Pin It on Pinterest