Home / CÃES / Casos Clínicos / Convulsão focal causada por Erliquiose – Doença do Carrapato

Convulsão focal causada por Erliquiose – Doença do Carrapato

31 / ago / 2011

Os cães com Erliquiose além dos sintomas mais conhecidos como febre, prostração, perda de apetite e hemorragias por deficiência de plaquetas, podem apresentam também também convulsões focais na fase crônica ou assintomática da doença, ou seja depois que o animal parece “normal”.

As convulsões focais em cães são diferentes das convulsões generalizadas. Essas ocorrem somente em um ou mais grupos musculares sem perda de consciência e sem generalizar. Podemos identificar isso como um “tique” estranho no rosto, no lábio, canto dos olhos ou um mexer incontrolável em uma perna. O cão permanece consciente durante todo este episódio e provavelmente irá reclamar ou parecer assustado com isso.

Essas convulsões focais ocorrem por uma inflamação (vasculite) dos vasos (veias e artérias) que ocorrem no corpo todo e no sistema nervoso central (cérebro). Essa mesma vasculite em outras partes do corpo pode causar artrite (inflamação das articulações), uveíte (inflamação dos olhos), glomerulonefrite (inflamação dos rins) entre outras.

Dependendo das áreas afetadas, os sintomas podem variar de animal para animal. Esses sintomas se assemelham da Febre Maculosa, Doença de Lyme, Babesiose ou mesmo da Cinomose. É de vital importância saber o diagnóstico para instituir o tratamento adequado.

Nessa semana atendemos uma paciente antiga nossa, a Úrsula, uma schnauzer miniatura, que já teve erliquiose há um ano. Na época foi tratada e ficou curada.

Provavelmente ela se infestou novamente com carrapatos, pois agora apresentou um quadro neurológico (síndrome vestibular), convulsões focais e possível avc hemorrágico provavelmente causado pela queda acentuada de plaquetas e hipertensão arterial sistêmica (ela também é cardiopata).


Parasita da Erliquia

Além das consulsões focais e da síndrome vestibular ela não apresentou nenhum outro dos sinais clássicos da erliquiose.

O diagnóstico foi feito com exame de hemograma, sorologia para erliquiose (SNAPP 4 Dx) e mensuração da pressão arterial. Ela ficou internada para controle das convulsões focais, controle da hipertensão e tratamento da hemoparasitose.

Agora ela esta bem melhor com o tratamento instituído e esta fazendo o controle com exames de contagem de plaquetas semanais e mensuração da pressão.

Vídeo Convulsão Focal

Pin It on Pinterest