Este é o Dourado, um paciente que está lutando bravamente contra a cinomose, além do tratamento suporte vem sendo tratado com Antiviral.

Ele conta com o empenho dos proprietários que estão cuidando com muito carinho e adotaram um forte esquema de isolamento em casa já que têm outro animal, o Pingo.

Note que ele tem secreção ocular e nasal purulenta, teve diminuição da produção de lágrima, apresenta perda de apetite, hiperceratose de coxins, também teve febre e convulsões, além dos sintomas bem característicos da doença, no hemograma tinha corpúsculos de Lentz, trombocitopenia e Linfopenia importante.

O que é Cinomose

Muito se fala sobre essa doença, aqui no Brasil ocorre de forma bastante reqüente, conhecendo um pouco sobre ela podemos prevenir e ajudar a diminuir a incidência dela entre nosso meio.

A cinomose é uma doença muito contagiosa causada pelo vírus CDV. O que muita gente nem imagina é ela não atinge somente cães mas, outros animais como golfinhos, ferrets, raposas, lobos, gambás, etc.

A transmissão ocorre devido contato com partículas virais no ambiente, essas partículas que contaminam o ambiente são eliminadas principalmente por secreção (como espirros por exemplo) e urina de algum outro animal contaminado. A porta de entrada está relacionada a mucosas da boca e trato respiratório. Esses vírus podem contaminar objetos e nós mesmo podemos carregá-lo de um ambiente para outro, daí a importância de isolamento de filhotes que ainda não são imunizados, evitar comprar em feiras, lojas de animais, canis com pouca higiene.

A doença atinge diversos sistemas do organismo, talvez os sintomas mais conhecidos popularmente sejam os neurológicos, que envolvem convulsões, dificuldade para levantar, caminhar e movimentos involuntários de membros e cabeça (chamadas mioclonias), entre outros.

O vírus da cinomose deixa o animal susceptível a uma série de infecções bacterianas secundárias, portanto também podem apresentar pneumonia, vômitos e diarréia brandas que as vezes passam desapercebidas. Outros sinais clínicos que também podem aparecer são relacionados a diminuição da produção de lágrima, com úlcera de córnea, secreção ocular purulenta, hiperqueratose da pele de coxins das patas (deixa a pele grosseira), impetigo (pústulas com conteúdo purulento na pele), os animais podem se apresentar com febre, prostrados, sem apetite, desidratados, etc.

O hemograma, o PCR e a prova de Elisa são exames pedidos pelos veterinários para diagnosticar a doença alem dos sintomas clínicos.

A cinomose se manifesta de diversas formas e o diagnóstico precoce pode ser difícil, pois muitos dos sintomas iniciais se confundem com outras doenças menos graves e também muito freqüentes.

Infelizmente a taxa de mortalidade é bastante elevada principalmente em animais que desenvolvem a fase neurológica da doença, não existe tratamento considerado totalmente eficaz.

O tratamento suporte é de extrema importância e envolve o uso de vitaminas, soro, cuidados de enfermagem, antibióticos para prevenção e tratamento de infecções oportunistas. Não existem receitas milagrosas, principalmente as encontradas em alguns sites e fóruns da internet. Existem medicamentos específicos contra o vírus que já vem sendo testados e de necessitam ser prescritos por veterinário.

O animal doente deve ser isolado de outros e deve-se tomar cuidados de higiene após manipulação, deve permanecer isolado até que o exame de PCR seja negativo, o que ocorre cerca de 90 dias após a cura clínica.

A vacinação é o melhor método de prevenção desta doença, todo filhote deve receber o esquema de vacinação que será desenvolvido para ele após a primeira avaliação do Médico Veterinário, geralmente são feitas 3 doses com intervalos de 21 a 30 dias.

Embora seja um vírus com alto poder de infecção, sobrevive pouco no ambiente e facilmente é eliminado com desinfetantes a base de amônia quaternária e hipoclorito de sódio(cloro).

 



Posts Relacionados:


  1. Maneco – de Cinomose à Micose, mas ainda uma história de sorte!!!