Home / CÃES / Doenças / Shunt Porto – Sistêmico

Shunt Porto – Sistêmico

06 / fev / 2012

A Florisbella, essa linda gatinha tricolor, foi encontrada na rua por uma de nossas clientes, na semana do Natal. Estava muito debilitada, desidratada, mal conseguia ficar em pé, e pesava somente 500 gramas!

Quando foi internada, descobrimos que ela tinha uma doença congênita chamada shunt porto-sistêmico. Nessa doença, existe uma alteração nos vasos sanguíneos que chegam ao fígado, o que provoca o acúmulo de algumas toxinas na circulação. Essas toxinas são geradas pelo próprio organismo, por exemplo a amônia, que é produzida durante a metabolização das proteínas provenientes da alimentação.

Os sintomas são principalmente neurológicos (desorientação, cegueira, alterações de comportamento, coma, convulsões), e os filhotes acometidos geralmente têm um crescimento mais lento que os irmãozinhos de ninhada. Esta anomalia é muito mais comum em cães, principalmente das raças Maltês e Yorkshire.

Florisbella é o primeiro caso que diagnosticamos em um gatinho bebê. O tratamento consiste em dieta com poucas proteínas, medicamentos para diminuir o teor de amônia na circulação e, em alguns casos, cirurgia.

Agora, Florisbella está com 2 meses e meio, e pesa 1,4 kg. Já iniciou o esquema de vermifugação e vacinação. Vamos esperar ela crescer mais um pouquinho, para que possa ser realizada a cirurgia corretiva.

 

Pin It on Pinterest