Home / CÃES / Cuidando do seu bichinho / Filhotes e “suas doenças”, o Que Precisamos Saber?

Filhotes e “suas doenças”, o Que Precisamos Saber?

12 / jul / 2012

Quando compramos, adotamos ou resgatamos filhotes ou animais adultos, muitos podem trazer algumas surpresas já aparentes como nos casos de sarnas, micoses, pulgas e carrapatos ou mesmo encubando alguma doença que em um primeiro momento não podem ser diagnosticadas a olho nú ou por um leigo.

Uma consulta com o seu Médico Veterinário nos primeiros dias de convívio com o seu novo amigo, pode identificar essas doenças pelo exame clínico ou com auxílio de exames e tratá-los, evitando um mal maior ou a perda do filhote principalmente nos casos das viroses como cinomose, parvovirose ou mesmo da doença do carrapato.

Seguem abaixo as principais doenças e parasitas que podem vir de “presente” nos filhotes e cães adotados.

1. Verme Intestinais: Quase todos os filhotes e cães de rua tem, causando vômitos,diarreias perda de peso ou crescimento inadequado e mesmo levar a morte principalmente em jovens muitos jovens. Os parasitas mais comuns são a toxocara, ancylostoma (bicho geográfico), giárdia e coccidia e dyplidium. Exame de fezes, ou de sangue podem identificar esses parasitas e orientar o tratamento adequado.

2. Pulgas e Carrapatos: Muito comum em filhotes e cães de rua e pode ser considerado comum em todo Brasil, levando a coceira e algumas doenças Erlichiose, Babesiose e Anaplasmose. O controle é feito com antiparasitários (Revolutiom, Frontline, Max 3, Advanced entre outros) e com controle ambiental (dedetização).

3. Sarnas e Fungos (micoses): São doenças contagiosas de animal para animal e também para pessoas. A sarna causa muita coceira com lesões nas extremidades do corpo como pontas de orelhas, focinho, cotovelos e pés podendo tomar todo o corpo do animal. Já a micose ou fungo pode acometer cães e gatos contaminando animais e pessoas. O tratamento é a base de medicamento oral pomadas e xampus.

4. Cinomose: Virose altamente contagiosa podendo ser fatal. Não é uma zoonose, ou seja, não passa para as pessoas. A transmissão ocorre pelo contato direto entre animais. Assim todo filhote a partir de 45 dias de idade deve ser vacinado. Os sintomas são desde corrimento nasal e secreção ocular como se estivessem gripados até falta de apetite, perda de peso, tosse com catarro e convulsões.

5. Parvovirose: Outra virose contagiosa que atinge cães com até 6 meses de idade. Pode ser fatal com uma taxa de mortalidade alta em torno de 80%, principalmente em animais jovens, causando diarreia, vômitos e desidratação. O vírus é transmitido pelo ar e objetos contaminados com fezes e secreções e pode resistir por vários dias no ambiente. Para seu controle existe a vacina polivalente que deve ser feito em todo filhote antes de ficar doente. Quando doente o animal deve ser internado para receber soro na veia e tratamento de suporte.

6. Doenças do Carrapato – Erlichiose, Babesiose e Febre Maculosa são doenças transmitidas por carrapatos. O cão doente tem febre, apatia, perda de apetite, hematomas pelo corpo e sangramento espontâneo pelo nariz, nos machucados que não cicatrizam na urina entre outros. As gengivas ficam pálidas e podem ter anemia crônica. O tratamento deve ser feito com antibiótico e as vezes com imunossupressores. Quanto antes fizer o diagnóstico, mesmo sem sintomas,melhor o prognóstico e a chance de cura.

Se adotar um filhote ou mesmo cão adulto, não se esqueça de levar ao veterinário para exames e primeiras orientações de cuidados e manejo. Muitas vezes nessa primeira avaliação detectamos pequenos problemas que se resolvidos a tempo não comprometem a saúde do seu novo amigo.

 

Pin It on Pinterest