A Vida é uma gatinha de apenas 50 dias de idade, que enquanto brincava em casa acabou ingerindo um pedaço de folha de Lírio.

O seu dono, muito zeloso, resolveu pesquisar e descobriu que trata-se de uma planta tóxica para cães e gatos. Imediatamente trouxe a gata ao Pet Care para ser examinada.

Aqui a Vida foi examinada e vimos que estava tudo bem com ela. No entanto, explicamos a ele que o Lírio realmente é uma planta tóxica que em cães e gatos pode gerar sintomas gastrointestinais (vômito, diarréia, cólica), neurológicos (tremores, incoordenação, convulsões) e, o que mais preocupa, é que pode causar insuficiência dos rins!

Quando ocorre esse estágio o animal pode piorar bastante seu estado geral e pode parar de urinar.

Qualquer parte da planta pode provocar a intoxicação: folha, flor, caule e pólen. A água com pólen da flor também pode intoxicar. Vários tipos de lírios são tóxicos (“da Paz”, “da Páscoa”, “Japonês”, etc).

Os gatos são mais sensíveis à planta. Já em cães a intoxicação é rara.

O animal que ingere Lírio deve ser levado rapidamente ao veterinário. Em até 2 horas após ingestão podemos tentar provocar o vômito para “expulsar” a planta do estômago.

No caso da Vida essa manobra deu certo e ela rapidamente vomitou a folhinha que havia engolido.Mesmo vomitando a planta, as toxinas podem ter sido absorvidas e o animal necessita de tratamento para impedir os sintomas.

Não existem antídotos para a toxina do Lírio. Nestes casos é necessário que o animal seja tratado com fluidoterapia (soro) intravenosa para estimular a filtração dos rins, impedindo a insuficiência renal.

Também são aplicados protetores de mucosa gastrointestinal para impedir a absorção das toxinas e medicamentos para controlar a náusea, a diarréia e a cólica.

É importante realizar exame de sangue para avaliar a função dos rins. Mesmo que o exame esteja normal, devemos repetí-lo algum tempo depois (1 ou 2 dias) para verificar se não houve evolução da intoxicação.

A Vida jé está em fluidoterapia e recebendo todo este tratamento. Também já fez o exame de sangue. Por enquanto ela está bem!

Quando os animais são tratados a tempo, a chance de recuperação é grande. Mas se for não tratada, a intoxicação pode levar à morte!

É sempre bom manter qualquer tipo de planta potencialmente tóxica longe dos nossos animais.

Mas quando ocorrer ingestão acidental de qualquer tipo de planta, o pets devem ser levados ao veterinário para verificar se a planta é tóxica e iniciar o tramento mais rápido possível! Assim aumentamos a chance de prevenir os efeitos graves da intoxicação!

Vale lembrar que cada planta tóxica pode gerar sintomas diferentes que necessitam de tratamentos específicos.

Algumas outras plantas e legumes que são potencialmente tóxicos para cães e gatos são:

Comigo-ninguém-pode; Azaléa; Trombeteira; Bico-de-papagaio, Coroa-de-Cristo; Mamona; Espirradeira; Espada-de-São-Jorge; Ruibarbo; Hortênsia; Mandioca Brava, Orelha-de-elefante, Copo-de-leite, Antúrio, Cogumelos (vários tipos), Dama-da-noite, Dedaleira, Cebola, Jasmim-amarelo, Saia-Branca, Cambará, Cavalinha, Eucalipto, Flor de Narciso, Tabaco (“Fumo”), Cannabis sativa (“maconha”), Hera, Tremoço, Urtiga, entre outras.

 



Posts Relacionados:


  1. Intoxicação por veneno de rato em cães e gatos

  2. Intoxicação por Chocolate em Cães

  3. Intoxicação por Medicamentos Humanos

  4. Intoxicação por Maconha (Cannabis sativa)

  5. Intoxicação por Planta Ornamental – Cyca revoluta