Como escolher seu cão?

Compartilhe

Como escolher seu cão? 23 de julho de 2020

Finalidade do cão

Por que optou em ter um animal de estimação?

Se for somente para companhia, deve procurar as raças mais adequadas de acordo com o seu estilo de vida, local onde vai conviver com ele, tempo disponível para cuidar do animal como banho, tosa, exercícios etc.

 Cão de Guarda

Se for como cão de guarda, verifique as raças mais adequadas e provavelmente esse animal não deve ser castrado, pois poderá se tornar dócil e menos atento aos cuidados de guarda.

Cão de Trabalho

O cão poderá exercer atividades de guia, guarda e pastoreio entre outras atividades e para cada uma delas existem raças que se adequam e estão mais aptas para essas atividades. Todos devem ser treinados, independente da índole, sabendo que nem todos responderão da mesma forma ao treinamento. Existem aqueles que têm aptidão nata para o trabalho e por isso aprendem mais facilmente e outros que não. Mesmo dentro de uma raça sabidamente apta como o Labrador como cão guia ou o Border Collie como cão de pastoreio, existem aqueles mais inteligentes e hábeis e que aprenderão muito facilmente e outros que, mesmo com treinamento adequado, não atingem o objetivo ou desempenho esperado.

Porte do animal

O tamanho (adulto) do animal escolhido deve estar diretamente relacionado ao espaço disponível e a atividade física a ser dedicada a ele. Bom senso sempre: animal de porte grande requer mais espaço e mais atividade física; animal de pequeno e médio porte requer menos espaço físico e provavelmente menos atividade física. Não se esqueça que em algumas raças a atividade física independe do tamanho. O Jack Russel e o Border Collie que são raças de pequeno e médio porte respectivamente são raças que requerem muita atividade física e já o Mastim Napolitano que é uma raça gigante não requer tanta atividade física, somente espaço. Qual a sua disponibilidade de espaço físico e tempo para atividade física com o seu animal?

Tempo disponível e estilo de vida do dono

Animais requerem cuidados e atenção. Se a sua disponibilidade de tempo for curta, se fica pouco tempo em casa ou viajar muito, deve pensar duas vezes antes de adotar um animal de estimação. Os cães são extremamente dependentes e gostam de viver em grupo (matilhas) e por isso não devem ficar muito tempo sozinhos. Cabe aqui também avaliar a possibilidade de ter somente um ou mais cães juntos. Dois animais juntos podem preencher o vazio deixado pelo dono, quando este está trabalhando ou fora de casa. De preferência devem ter idade e porte físico parecidos para que brincando não se machuquem. Se for de sexo diferente (macho e fêmea) deve- se lembrar de castrá-los para que não tenha a surpresa de uma gravidez e aumento de “família” não programados.

Macho ou fêmea

Existem grandes diferenças comportamentais e de cuidados entre os machos e fêmeas. As fêmeas tendem a ser mais caseiras. Os grandes cães de guarda tem o instinto materno de proteção às ninhadas, além de não abandonar o seu trabalho para seguir “uma cadela no cio” como ocorre com os machos.

São geralmente mais limpas e discretas e não marcam territórios, porém se não castradas tem os cios e sangramentos vaginais o que implica em cuidados de higiene e proteção como uso de absorventes para que não sujem o seu apartamento ou casa.

Os machos podem ser mais agressivos, marcam território e são mais agitados. A marcação de território com urina pode não ser um problema em casas com quintais, mas em apartamentos e ambientes restritos isso pode ser muito inconveniente. Nesse caso, o animal deverá ser castrado antes do primeiro ano de vida. Se for macho dominante pode existir conflito com pessoas da casa ou outros animais.

 

Adulto ou filhote

Os filhotes são sempre mais graciosos, mas requerem muito trabalho e disciplina no ensinamento e adestramento. Tem também um custo maior em relação aos primeiros cuidados com vacinas, alimentação e castração. Ressalta-se a vantagem de uma adaptação ao dono e a casa muito mais rápida. Já o cão adulto, pode vir castrado e com alguns ensinamentos sedimentados, porém pode ter maior dificuldade de adaptação à casa e aos novos donos. Pode ter também hábitos indesejáveis e doenças pré-existentes desconhecidas.

Castrar ou não castrar

As fêmeas entre o 6º e 8º mês de vida passam a ter cios duas vezes ao ano e se forem castradas precocemente (antes do primeiro cio ou entre o primeiro e segundo cio) diminui a incidência de tumor de mama. Os machos castrados ficam mais tranquilos e não marcam territórios. Ambos podem ficar menos ativos e por isso o controle de peso deve ser rigoroso. Se o objetivo for tê-lo como cão de guarda, não deve ser castrado.

SRD ou Cão de Raça

Os SRDs são mais resistentes, podem ser mais amistosos, tem de todos os tamanhos e cores e normalmente não custam nada, já que podem ser adotados. Será sempre uma boa opção de cão de companhia e provavelmente o surpreenderá pela vivacidade e lealdade.

Características das raças

Escolhido o objetivo do animal, o porte físico, o sexo, se vai ser um adulto ou filhote, castrado ou não, e avaliado o tempo que você terá disponível para ele já podemos pensar nas diferentes raças que se encaixam no perfil do tutor e seu estilo de vida.

Ao adotar um cãozinho é muito importante leva-lo ao médico veterinário para uma avaliação médica e dicas de manejo.

Gostou do conteúdo?
Compartilhe

Leia também

Ibirapuera

(11) 3050-2273

11 95023-3626

Av. República do Líbano, 270 Ibirapuera - SP

Saiba maissaiba mais da unidade Ibirapuera

Morumbi

(11) 3740-2152

(11) 94468-2702

Avenida Giovanni Gronchi , 3001 Morumbi - SP

Saiba maissaiba mais da unidade Morumbi

Pacaembu

(11) 4305-9755

11 97450-1843

Av. Pacaembu, 1839 Pacaembu - SP

Saiba maissaiba mais da unidade Pacaembu

Tatuapé

(11) 3019-2300

11 99787-1305

Rua Serra do Japi, 965 Tatuapé - SP

Saiba maissaiba mais da unidade Tatuapé

Centro de Radioterapia

11 2507-4616

11 94394-6254

Rua João Avelino Pinho Mellão 321 - Morumbi - SP

Saiba maissaiba mais da unidade Centro de Radioterapia