Mordidas entre cães ou gatos: Cuidados necessários

Compartilhe

Mordidas entre cães ou gatos: Cuidados necessários 16 de julho de 2014

As mordidas de cão por brigas ou agressões na rua e parques podem resultar em traumas significativos, desde uma simples perfuração até grandes lacerações de pele e musculatura. Já os gatos fazem feridas geralmente com perfurações discretas e contaminação seguidas de inchaço e muita dor local.

Como a boca é um ambiente cheio de bactérias, todas as mordidas são consideradas contaminadas e a possibilidade de infecção é muito alta, mesmo quando a lesão é pequena ou simplesmente o que vemos é um furo. As mordidas de gatos tem muito mais chances de contaminar se comparada com as dos cães.

Muitas mordidas que parecem somente como uma ferida pequena ou uma simples perfuração na pele podem nos surpreender pela extensão no tecido subcutâneo (debaixo da pele) com descolamento da pele que não é visível ou por uma surpresa ainda pior depois de alguns dias de evolução com a presença de necrose da pele e/ou da musculatura, presença de pus e de uma possível vasculite com septicemia, causadas pelas bactérias inoculadas pelos dentes contaminados através da ferida

Assim TODOS os ferimentos por mordida devem receber atenção veterinária e reavaliações periódicas nos primeiros 2 a 5 dias. Algumas feridas podem parecer ilusoriamente menores, mas podem ter o potencial de ser uma ameaça à vida, dependendo da área do corpo mordido ou da bactéria que foi ali deixada.

O diagnóstico de uma ferida é geralmente uma tarefa simples, especialmente se o proprietário viu a briga. O desafio surge na determinação da extensão da lesão subjacente e do tecido subcutâneo que somente poderá ser visível ou percebido alguns dias depois. Pior que isso é quando não vemos a briga e não temos a menor ideia de que debaixo daquele pelo pode ter uma infecção grave se desenvolvendo.

Mordidas do pescoço podem ser mais graves e podem precisar de uma análise mais aprofundada para determinar a extensão do dano causado e muitas vezes não visível. Muitas vezes temos que tosar o animal para avaliar a extensão da mordida.

O tratamento de feridas por mordidas geralmente incluem, tosa e limpeza da região, uso de analgésicos, avaliações periódicas com curativos diários, uso de colar protetor para o animal não lamber a ferida e SEMPRE ACOMPANHADA DE UM OU UMA ASSOCIAÇÃO DE ANTIBIÓTICOS.

Essas feridas podem ser muito doloridas e por isso o uso de anti-inflamatório pode ser indicado sempre sob orientação do Médico Veterinário. As feridas tem maior chance de cura e de ser suturada (dar pontos) se tratada dentro de 12 horas após a lesão.

Sedação ou anestesia pode ser necessária para o tratamento de algumas mordidas e para a possível sutura de pele e colocação de dreno.

O objetivo primário do tratamento consiste em reduzir o risco de infecção e reparar os tecidos lesados. Os antibióticos são muito importantes no tratamento da infecção e infelizmente nem sempre conseguimos conter a infecção em uma primeira tentativa e assim a cultura bacteriana pode ser importante para determinar qual a bactéria envolvida e qual o melhor antibiótico para controlá-la.

Por tudo isso, toda ferida por mordida deve ser avaliada e acompanhada com orientações do Médico Veterinário até a sua completa resolução que dependendo da extensão das lesões pode demorar de 7 dias a mais de 30 dias.

Gostou do conteúdo?
Compartilhe

Leia também

Ibirapuera

11 3050-2273

11 95023-3626

Av. República do Líbano, 270 Ibirapuera - SP

Saiba maissaiba mais da unidade Ibirapuera

Morumbi

11 3740-2152

11 99451-6319

Avenida Giovanni Gronchi , 3001 Morumbi - SP

Saiba maissaiba mais da unidade Morumbi

Pacaembu

11 4305-9755

11 97450-1843

Av. Pacaembu, 1839 Pacaembu - SP

Saiba maissaiba mais da unidade Pacaembu

Tatuapé

11 3019-2300

11 99787-1305

Rua Serra do Japi, 965 Tatuapé - SP

Saiba maissaiba mais da unidade Tatuapé

Centro de Radioterapia

11 94394-6254

Rua João Avelino Pinho Mellão 321 - Morumbi - SP

Saiba maissaiba mais da unidade Centro de Radioterapia