Se o Pet caí na piscina na frente do proprietário ou responsável e ele não está se afogando, mas simplesmente nadando, deve orientá-lo a se direcionar ao local de saída – quando houver – como no caso de plataformas, ou escadas.
É muito difícil, se não impossível, o pet conseguir subir em escadas de metal. As escadas mais fáceis são as construídas na própria borda da piscina. Existe também no mercado, escadas ou plataformas de plástico que podem ser adaptadas às bordas das piscinas e que ajudam o animal a sair facilmente.

Mas no caso do animal cair na piscina e estiver se afogando, você deve retirá-lo rapidamente e procurar um Médico Veterinário, pois o mesmo pode aspirar água.

Quais raças de cães e gatos merecem atenção redobrada nessa situação?

A primeira preocupação deve sempre ser com filhotes de qualquer raça, pois pela curiosidade e imaturidade, podem cair na piscina a qualquer momento. Os animais de pequeno porte podem ter maior dificuldade de sair da piscina também.
Muitas vezes um animal grande consegue se apoiar na borda e sair da piscina, enquanto animais pequenos não conseguem.

Considera-se que as raças de caça (Labradores, Pointers, Beagles, Golden Retriver, etc) estejam mais adaptados a nadar e por isso oferecem menor risco, enquanto animais mais gordinhos como Bulldogues, Boston, Pugs, Pequines, entre outros, podem ter maior dificuldade de nadar e com isso, se afogar.
Os gatos apesar de não gostarem de água, tendem a nadar facilmente e podem ter melhor desempenho para sair da água, pois têm garras que podem ajudar a fixar na borda da piscina.

O que pode acontecer nesse tipo de acidente? Como agir em cada um dos casos?

Apesar de todos cães e gatos terem instintos para nadar e conseguirem fazer isso muito bem, na maioria dos casos, o grande risco das piscinas é que a queda aconteça na ausência de um dono ou responsável, e que o animal não conseguindo sair pelas bordas ou escadas, nade até a exaustão e venha a se afogar por fadiga, depois de muito tempo nadando. Nesse caso acontece o afogamento.

Recomendamos primeiro evitar que isso aconteça, impedindo o acesso do Pet à área da piscina, ensinando o animal a nadar e encontrar a saída (escada) em um momento de adestramento. Na ausência de escada construída na piscina, será necessário adaptar uma escada ou plataforma de saída, pois mesmo tomando todo cuidado, acidentes podem acontecer, principalmente com filhotes, animais cegos, idosos e naquelas raças que sabidamente gostam de água, e que pelo calor procuram entrar dentro dela.

O Pet Care é um Centro Veterinário completo, que conta com infraestrutura e equipamentos únicos no Brasil. Atendemos emergências 24h, todos os dias.

Confira nossas unidades:

UNIDADE IBIRAPUERA
AVENIDA REPÚBLICA DO LÍBANO, 270 – IBIRAPUERA – SP
TEL.:11 3050-2273
WHATSAPP:95023-3626
UNIDADE MORUMBI
AVENIDA GIOVANNI GRONCHI, 3.001 – SÃO PAULO – SP
TEL.:11 3740-2152
WHATSAPP:99451-6319
UNIDADE PACAEMBU
AVENIDA PACAEMBU, 1.839 – SÃO PAULO – SP
TEL.:11 4305-9755
WHATSAPP:97450-1843
UNIDADE TATUAPÉ
RUA SERRA DE JAPI, 965 – TATUAPÉ – SP
TEL.:11 3019-2300
WHATSAPP:99787-1305



Posts Relacionados:


  1. Calor e piscina: Como agir com cães e gatos?

  2. O QUE FAZER QUANDO SUA CASA/APARTAMENTO ESTÁ COM CHEIRO DE SEU CÃO E/OU GATO?

  3. O que fazer quando sua Casa/Apartamento está com cheiro de seu Cão e/ou Gato?

  4. Quando o gato começa a fazer xixi pela casa

  5. QUANDO TEM MAIS DE UM GATO NA CASA: DICAS PET CARE