Chegou ao atendimento do Pet Care um filhote de gato macho chamado Horácio, com aproximadamente 70 dias de vida e histórico de dificuldades para urinar. Segundo sua tutora, o animal apresenta essa dificuldade desde que foi adotado, permanecendo por muito tempo em posição de micção em que saíam apenas gotas de urina.

Clinicamente o animal estava bem, comendo e bebendo água normalmente. Mas, na avaliação clínica, pôde-se observar que o felino apresentava a bexiga moderadamente cheia, dor na palpação de abdômen, região peniana (prepúcio) com volume aumentado e acúmulo de urina, e impossibilidade de expor o pênis.

Essa condição é chamada de Fimose ou Estenose prepucial. O pênis fica retido no prepúcio e não consegue ser exposto, levando ao acúmulo de urina – consequentemente, a condição pode levar a infecção da região, assaduras no abdômen e muita dor. O tratamento é cirúrgico, no qual o objetivo é aumentar o orifício prepucial e restabelecer a movimentação do pênis.

O gato foi encaminhado para a cirurgia em questão e apresentou ótima evolução pós-operatória. Na imagem abaixo, está Horácio no primeiro retorno pós-cirúrgico. Segundo a tutora, agora o animal está urinando sem dificuldades e sem dor. O felino vai continuar com o acompanhamento da equipe de veterinários, mas seguirá com sua vida normal de gatinho filhote.

Independentemente da idade do seu animal, caso ele apresente qualquer tipo de alteração na urina com relação a cor, odor e frequência de micção, ou dificuldade e dor para urinar, ele deve ser levado para avaliação do médico veterinário. Existem muitas doenças que podem levar a esses sinais clínicos, portanto seu animal deve receber o tratamento adequado o quanto antes.



Posts Relacionados:


  1. Novembro azul para cães: pets também podem ter problemas de próstata

  2. Cães e gatos podem ter diabetes?

  3. Grávidas podem ter contato com cães e gatos?

  4. Cães e gatos podem conviver juntos no mesmo ambiente?

  5. Pets também podem sofrer com problemas de tireóide