A diabetes é um problema razoavelmente comum em cães e gatos. De modo geral, é uma doença que aparece em animais adultos e idosos. Existem várias causas que predispõem ao seu aparecimento: pode ser racial como nos poodles, schnauzer, cocker spaniel inglês, dachshund, rottweiler, beagle, labrador, samoieda e pinscher; pode ser devido à obesidade; mas também temos os animais que ficaram diabéticos pelo uso de corticosteroide, animais com hiperadrenocorticismo e animais com problemas hepáticos. No gato, o fator predisponente mais comum é a obesidade e o uso de cortisona.

Os sintomas mais comuns quando o animal fica diabético é o aumento da ingestão de água, emagrecimento e catarata. No gato, a diabetes provoca o andar de coelho (apoio dos membros posteriores na articulação tíbio-tarsa). Se a doença não for diagnosticada a tempo, o animal entra em cetoacidose que requer tratamento de emergência e pode morrer.

O exame da dosagem de glicose sanguínea deve ser feito sempre em jejum alimentar de 10 a 12 horas. Os níveis normais no cão 70 a 120 mg/dl e no gato 70 a 150 mg/dl. Também fazemos um exame de urina para averiguar se o animal apresenta glicosúria e dosamos uma enzima chamada frutosamina. Com todos os resultados laboratoriais, exame clínico e se necessário exames de imagens, fechamos o diagnostico de diabetes.

A partir do resultado, iniciamos o tratamento com o uso de insulina e para isto precisa-se seguir um protocolo para chegarmos à dose de insulina necessária para o tratamento do animal (as respostas são individuais). Após essa primeira etapa, faremos curva glicêmica, corrigimos a dieta e indicamos um condicionamento físico. Nas fêmeas é imperativo serem castradas. Todo este processo pode demorar alguns dias ou até semanas para a total estabilização do animal.

A boa noticia é que 95% dos proprietários de animal com diabetes conseguem muito bem fazer o tratamento em casa e com o tempo conseguem perceber sozinhos quando o animal não está bem e precisa de cuidados veterinários.

O animal diabético estabilizado precisa ser acompanhado pelo veterinário com visitas periódicas para controle do peso, glicemia e exames laboratoriais. Um animal com a diabetes controlada pode viver bastante, mas sempre pode apresentar complicações como pancreatite, cegueira devido à catarata, estar mais suscetível a infecções  principalmente do trato urinário, neuropatias, problemas circulatórios, etc.

No Pet Care nós recomendamos que todo animal acima de 5 anos que tenha a predisposição racial ou seja obeso ou esteja apresentando algum dos sintomas supra citados faça o exame de sangue anualmente.

Cães com predisposição ao diabetes



Posts Relacionados:


  1. Diabetes Mellitus em Cães e Gatos: O que é isso?

  2. DOENÇAS CRÔNICAS: DIABETES

  3. Cães e gatos podem conviver juntos no mesmo ambiente?

  4. Leucemia em cães e gatos

  5. Diarreia crônica em cães e gatos pode ser Giárdia?